Diário
Segunda 18 de Março, 2019
A força de kawak...
Este último mês foi intenso e ao mesmo tempo trouxe-me uma lufada de ar fresco.
O início da primavera tem destas coisas... puxa, puxa, puxa, bem de dentro para fora.

O mês iniciou com uma limpeza daquelas bem forte... uma enorme gastroenterite abalou o meu aparelho digestivo. Durante 24 horas o estômago e o intestino sofreram uma lavagem poderosa, daquelas que só podia vir da trovoada Kawak - sabedoria Maia que esteve em vigor até ao dia 11 Março.
Estive em dieta restrita e até que sentisse a minha vitalidade em alta demorou.

Mas na semana passada estive de férias em terras lusas e foi tãoooooo bom. O sol abraçou-me com os seus raios calorosos. As estrelas guiaram-me por caminhos que despertam memórias queridas. A lua foi meiga e tímida. As ondas do mar cantaram-me preces de alegria. As montanhas recordaram-me o quanto sou bem vinda.
Nutri-me bem com aquela comidinha que lembra a lar, família, ninho... exagerei, mas consolei-me tanto que o fígado não se queixou!

O meu amado acompanhou-me nesta aventura e a recuperação não poderia ser tão rápida. Venho rejuvenescida, com paixão a fervilhar nas veias e sinapses de motivação a vibrar nas minhas células.


Aproveitei esta grande limpeza para fazer o balanço deste inicio de ano... a conclusão foi:
Fluir sem forçar, manifestar sem criar ansiedade...


Por vezes somos colocados em situações que despertam memórias antigas, padrões que pensamos que desapareceram, mas afinal estão apenas adormecidos para que possam emergir quando estamos mais preparados para os trabalhar profundamente.
Graças a esta gastroenterite reconheci esses padrões ancestrais... O padrão de querer ser perfeita, o medo de errar. Malvado! ahahaha, não tinha ideia que ainda estavas tão forte.

Foram várias as situações, desde o início do ano, onde fui colocada à prova saindo da minha zona confortável.
O novo ciclo trouxe-me novas oportunidades, portais que se abriram, mas também oportunidades de não me deixar seduzir pela vontade de querer fazer tudo e de ser perfeita.
Mostrar a esta gente que sou a Ana Taboada, não sou suíça, nem sou portuguesa... sou um ser único. Adoro abraços abertos e sentidos, rir dos meus erros, ensinar com inglês engasgado e com sotaque russo, expressar as minhas emoções e de ser autêntica. Em qualquer parte do mundo não é tarefa fácil, mas é o meu desafio...

Olhei de frente os meus demónios. Sorri, mesmo com vontade de fugir.
Dancei-os com Kundalini Dance, a dança alquímica que me ajuda a transformar as emoções.
Alimento-os todos os dias com as minhas práticas poderosas de FYD e Chod.
Apoio este trabalho com ervinhas, florais e óleos essenciais.... muita Mãe Terra e práticas bioenergéticas.
Estou mais corajosa. Estou plena. Estou feliz por mais esta conquista interna.


E por falar de alquimia, não podia estar em melhor condições para dar as boas vindas a um lindo grupo de 25 mulheres que abraçam o desafio de aprender Yoni Yoga e iniciar a sua alquimia sexual feminina.
São os últimos dias... ainda te podes juntar a nós:
https://www.anataboada.com/_yoni_yoga_alquimia_sexual_feminina


Entretanto, estou nos últimos preparativos para lançar o meu novo curso online:
Dança Alquímica - Parte 1
https://www.anataboada.com/_danca_alquimica__parte_1

Vê os próximos eventos na Agenda.


E para ti como tem sido este mês?
Partilha no Círculo de Dakinis ou, se fazes parte da 2ª espiral da Escola de Alquimia Feminina, partilha no grupo privado do FB ou no próximo encontro da zoom. :)



Possamos fluir com graciosidade,
Ana
Escreve um comentário
Por favor indica o teu primeiro nome
Por favor indica o teu último nome
Por favor indica o teu Email
Por favor indica o assunto
Por favor indica o teu comentário
*Campos Obrigatórios