Diário
Terça 15 de Janeiro, 2019
Lua de Sabedoria

Numa era muito antiga uma princesa chamada Jñana Chandra, que significa “lua de sabedoria”, praticava o dharma com confiança e dedicação.

Um dia o seu professor que era monge disse-lhe:

“que pena que és mulher, porque certamente não haverá possibilidade de alcançares a iluminação num corpo de mulher. Por isso, terás de voltar e reencarnar num corpo de homem para te iluminares.”

A sábia princesa respondeu-lhe de forma brilhante, mostrando o seu entendimento da verdade absoluta:

“aqui não há homem; aqui não há mulher, não há self, não há pessoa e não há consciência. Nomear de “mulher” ou “homem” é oco. Oh, como os idiotas mundanos se iludem.”

E prosseguiu fazendo o seguinte voto:

“aqueles que desejam atingir a iluminação suprema num corpo de homem há muitos, mas aqueles que desejam servir os seres num corpo de mulher são poucos; assim, possa eu, até este mundo estar vazio, trabalhar para o beneficio de todos os seres num corpo de mulher.”

Desde essa data, a princesa dedicou-se a alcançar a plena iluminação; e uma vez atingido, ficou conhecida como Tara, a Libertadora.

Tara é sem dúvida a primeira feminista!

E nela vive a força da dakini.

Soube honrar a sua verdade e integridade, mesmo que isso implicasse dizer um fierce “não” ao ser professor-raíz.

Na forma de Tara Verde, é a mais rápida a responder.

Tara Verde é o Elemento Vento. Compassiva. Ativista.

Libertadora de obstáculos e medos.

É a Guardiã das florestas. A líder do partido dos Verdes, diz a brincar Lama Tsultrim Allione.

Está pronta para saltar logo que necessário – com um pé no mundo e outro em meditação. E através deste mudra, mostra-nos metaforicamente o quanto sabe integrar o plano mais espiritual com o plano mais terreno. Ela traz a espiritualidade à Terra.

Como Tara afirmou, ao nível absoluto não há género. Qualquer noção de género é limitada e não é a nossa verdadeira natureza.

Mas ao nível relativo, homens e mulheres são diferentes e essa diferença é preciosa.

“Modelos femininos de força foram perdidos, reprimidos ou escondidos, em especial imagens que não são aceites ou seguras na sociedade patriarcal. As imagens das sibilas, a mulher sábia, a mulher selvagem – mulheres que encarnam poderes específicos de transformação, mágicos, espirituais ou psíquicos – tornaram-se as “bruxas perversas”.”
Lama Tsultrim Allione in Wisdom Rising

A Dakini é essa força feminina – fierce feminine – que precisamos, homens e mulheres, para estes tempos conturbados.

Acedemos à força da Dakini e rendemos ao seu abraço através das Sadhanas ou o Yoga das Deidades.
Saímos da conceptualização e mergulhamos na linguagem abstrata, paradoxa e profética, do sagrado feminino intuitivo.

Dá-se enfâse ao significado simbólico e não às palavras; as metáforas revelam significados profundos; os símbolos são poderes.


Tsultrim Allione acrescenta: “Onde as mulheres sentem-se em círculos nuas adornadas de lama, ossos e penas; mulheres que se transformam em divindades femininas e bruxas velhas – que se transformam em fierce Dakinis.



O Abraço da Dakini
pede-te a que te comprometas durante 21 dias a uma sadhana principal.
Essa sadhana inclui:

  • oferendas aos 4 convidados
  •       invocação às Dakinis dos 5 Elementos

(ambas as práticas oriundas da Tradição Xamanica Tibetana Bon)

  •          meditação da Tara Verde

  •           invocação às Dakinis tântricas

Ao longo das 3 semanas recebes diariamente um email com teoria sobre os 5 elementos ou reflexões sobre as dakinis. Nele também está incluído um pequeno ritual extra.

A sadhana principal será transmitida em direto nos seguintes dias:

- 1º RITUAL ONLINE - 19 JANEIRO 2019

- 2º RITUAL ONLINE - 26 JANEIRO 2019

- 3º RITUAL ONLINE - 2 FEVEREIRO 2019

- 4º RITUAL ONLINE - 9 FEVEREIRO 2019


Sobre o período escolhido para o decorrer dos 21 dias de imersão:

19 Janeiro - dia 1 Ahaw Maia (dia para abrir o coração ao amor incondicional e à grande compaixão) - 1º Ritual

19 Janeiro a 31 janeiro - ciclo Ahaw Maia (13 dias dedicados ao amor incondicional e à grande compaixão) - 2º e 3º Ritual

5 e 6 e 8 Fevereiro - dias Maias favoráveis para praticar a devoção e abrir o coração - 4º Ritual



+INFO:
https://www.anataboada.com/_abraco_da_dakini_2



Art by Tilly Campbell-Allen
Escreve um comentário
Dulce Pacheco
Obrigada Ana pela Partilha Bom Ano! Beijinhos Dulce
Por favor indica o teu primeiro nome
Por favor indica o teu último nome
Por favor indica o teu Email
Por favor indica o assunto
Por favor indica o teu comentário
*Campos Obrigatórios