Diário
Segunda 14 de Maio, 2018
Um louvor às mães!
Por aqui e muitas partes do planeta, ontem foi o dia da mãe!

A todas as mãe, um louvor!

És forte, sábia e trazes dentro de ti pós mágicos femininos (sim, os teus ovários têm um poder incrível!)!!!

Bem sei que em Portugal, este dia foi celebrado dia 6 Maio. Estava eu em pleno retiro O Poder da Dakini e acordei com a minha mãe bem pertinho de mim.
Que privilégio para uma mãe acordar com as suas duas filhas! Sim, dormimos as três bem juntinhas na mesma cama!!!

Mas ontem, além de dar um workshop em França pela parte da manhã, foi também dia de visitar a mãe do companheiro e, no final do dia, receber flores dum amigo que fez questão de me lembrar que também sou mãe. E assim, novamente o dia da mãe voltou a estar bem presente.

Todas as mulheres, independentemente de terem filhos, são de alguma forma mães.

Trazem no seu ventre a energia da criação e no seu coração a mãe doce, cuidadora e protetora.

Não precisamos de dar à luz para despertar essas energias e sermos reconhecidas como mães.

Cada mulher precisa de reconhecer a sua criança interior, aquela que traz dentro de si, e recordar que esta precisa do seu carinho, dedicação, amor e nutrição.
Muitas vezes essa criança está desnutrida, mal amada, desamparada... não tem voz, nem espaço para se expressar.
Essa menina dentro de cada mulher grita por um abraço, beijo, atenção, cuidado.

Esse tempo e bondade que dedicamos a nós mesmas, não só alimenta a nossa menina interior, mas também nos cria condições para sermos autênticas mães para o exterior... com a nossa energia maternal, amorosa e bondosa, penetramos o mundo, os nossos filhos, a nossa família, o nosso companheiro, as nossas irmãs, os nossos amigos... nessa penetração doce de 1000 braços que envolve tudo e todos, como as asas da mãe pássaro a proteger e aquecer as suas crias.

Não é fácil para nós mulheres, reconhecermos que para despertar, na sua plenitude, a energia maternal, precisamos de ser mães de nós mesmas.
E desse espaço de abundância darmos aos outros o nosso amor... e servirmos o planeta com os nossos dons e qualidades.

Por isso, nesta mensagem gostaria de reconhecer não apenas as mulheres incríveis que deram à luz ou conceberam uma criança no seu útero mágico,

mas também cada mulher que se aproxima de si mesma para se amar um pouco mais...

alimentando a sua criança interior que pede para saltar, pular, ser espontânea, verdadeira, curiosa... e na sua inocência inata pode finalmente viver com magia cada momento da vida.
Escreve um comentário
Lu Alexandre
Lindo! Estava a precisar de ler/ouvir estas palavras tão repletas de significado! É verdade que tantas vezes olvidamos a criança que há em nós e precisamos de alimentar! Obrigada por no-lo recordar de forma tão carinhosa, clara e sábia! Abraço e muita luz para si!
Por favor indica o teu primeiro nome
Por favor indica o teu último nome
Por favor indica o teu Email
Por favor indica o assunto
Por favor indica o teu comentário
*Campos Obrigatórios